Há uns dias atrás a caminho do meu trabalho a ouvir a rádio, o assunto a debater era que ter uma estilo de vida e alimentação saudável é caro.

Um tema sem dúvida muito interessante e que despertou a minha atenção, são muitas as vezes que ouço esta frase – ter um estilo de vida e alimentação saudável é caro, e é só para quem pode.

Então, é caro ter um estilo de vida e alimentação saudável?

Antes de mais quero salientar que estilo de vida e alimentação saudável é uma questão que depende muito de pessoa para pessoa e o que cada pessoa define de estilo de vida e alimentação saudável, e claro, quais as suas prioridades.

É importante não confundir alimentação saudável com produtos específicos, como o caso do tofu, do seatan, a quinoa, cuscuz, entre outros produtos alimentares que são, nada mais, que alternativas e/ou substitutos de alimentos de acordo com o estilo de vida que cada um quer ter.

A verdade é que não precisamos viver de leite com zero de lactose, queijo cottage, arroz integral, quinoa, cuscuz, as mais variadas sementes e produtos de dieta e suplementos para ter uma vida mais saudável. Basta, simplesmente, encontrar no mercado ou nos supermercados os produtos mais naturais possíveis, evitando os produtos processados, e ter atenção a preparação e confecção dos mesmo, evitando os fritos e os açucares.

Na minha opinião ter um estilo de vida e alimentação saudável não é caro, pelo contrário, é possível com uma boa gestão económica, com um consumo consciente, definição de prioridades e avaliação dos produtos a longo, médio e curto prazo.

A verdade, é que ainda existe muito o consumo por impulso e não no quanto seria benéfico para e se vai ao encontro das prioridades/ objetivos de cada um.

Ora vejamos, na minha visão, como não é assim tão caro.

Não pode pagar um ginásio? Faça exercício em casa, caminhe, corra, ande de bicicleta, salte a corda. Defina um objectivo e/ou planeamento e faça por seguir a risca. Não consegue sozinha, precisa de uma motivação ou compromisso maior, invista num ginásio, crossfit ou outro qualquer espaço ao seu gosto, fazendo um planeamento da sua gestão financeira. No Inverno é mais complicado fazer exercício ao ar livre devido as condições climatéricas, então opte por fazer exercício físico ao ar livre no Verão e no Inverno investe num espaço de actividades físicas.

O almoço é outro exemplo, muitos acham que é mais barato comer fora e comidas de fast food em vez de levar a marmita de casa. Porque não investir uma hora ou até mesmo duas horas no seu domingo e preparar as refeições para a semana? Se não pode comprar chia, opte pela linhaça ou aveia. Se não pode comer alcatra, opte por outro tipo de carne ou até mesmo peixe. Se não pode comprar sumos zero açúcar, faça seu sumo natural em casa. Se não pode comprar chá zero açúcar de caixa, opte por comprar as folhas ou mesmo plantar no seu quintal e terá sempre chá e até ervas aromáticas.

Aqui partilho algumas dicas simples de ser saudável sem gastar muito dinheiro:

Comprar fruta e legumes da época: para além de serem mais saborosos, são mais baratos;

Comprar produtos locais e ao produtor: para além de estarmos a ajudar o produtor local, muitas vezes os produtos são mais baratos (não há gastos no transporte e com intermediários);

– Fazer algumas refeições sem carne ou peixe: estes são os alimentos mais caros e os mais consumidos se fizer algumas refeições sem eles vai ver que consegue refeições mais baratas. por exemplo arroz + leguminosas (como feijão) e legumes são uma excelente refeição, tem todos os macronutrientes e fica económico;

– Planear refeições semanalmente: fazer um menu semanal ajuda muito principalmente para quem não tem tempo;

Comprar um produto em substituição de outro: e que tal retirarmos do carrinho de compras refrigerantes, cereais de pequeno-almoço açucarados, bolachas e outros, e fazer em casa;

Comprar em quantidade e a granel: optar por comprar em granel e assim evitar o desperdício alimentar;

Comprar um produto mais caro todos os meses: há produtos que são mais caros que os convencionais, por exemplo, óleo de coco, azeite de qualidade, entre outros, se não os pode comprar todos este mês compre apenas um;

Adaptar receitas: faço isso muitas vezes, se a receita diz para usar frutos vermelhos ou morangos e não estamos na época ou estão muito caros uso outra fruta qualquer. Se não tenho quinoa uso arroz, há tantas possibilidades;

Fazer exercício físico de sem gastar muito dinheiro: existem muitos desportos que não exigem um gasto mensal, andar, correr, dançar entre outras actividade;

Amar, conviver, criar laços, passear, cuidar da nossa saúde: pode parecer cliché mas é das coisas mais saudáveis que podemos fazer por nós próprios pois o Amor, a Amizade, a Partilha, os Momentos e a nossa Saúde não têm preço!

Afinal, é mais simples do que agente imagina.

Não esquecer que podemos fazer a diferença e podemos sempre alcançar os nossos objectivos. Quando queremos mesmo manter a nossa saúde, prevenir doenças, devemos deixar as frituras, alimentos industrializados e processados, refrigerantes, excesso de sal e açúcar, deixar de gastar em vícios, como por exemplo fumar e investir seu tempo e dinheiro nos alimentos certos e no consumo consciente.

Seu corpo físico, mental, emocional e espiritual agradecem, porquê preocupar com um estilo de vida e alimentação saudável quando estivermos doentes ou com excesso de peso, pode ser tarde demais e sair mais caro ainda.

A mim faz todo o sentido. E se faz sentir, faz sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.